O LINHO

Linho

O linho é utilizado desde hà muitos séculos para produzir tecidos, na Europa, Ásia e África. Antigamente em Portugal, de norte a sul, todas as aldeias cultivavam o linho, que depois de tecido era vendido em feiras ou utilizado para fazer coisas em casa.

As pessoas davam muito valor ao linho e falavam dele em músicas e cantares:

“Quem me dera ser tão fino

Como o linho que fiais

Quem vos dera tantos beijos

Como vós no linho dais”

 

O linho é uma planta que pode chegar a um metro de altura. Também existe uma flor do linho, essa flor é violeta e um bocado roxa.

 

Existem três variedades de linho: o galego, mourisco e riga nacional, este último com menor escala de cultivo. O linho mourisco é semeado pelo outono permanecendo na terra até à primavera, sendo a fibra mais longa que o galego mas mais fraca. O linho galego era o mais cultivado na zona onde vivemos.

O linho galego é semeado no início da primavera e após aproximadamente cem dias pode ser colhido. A planta do linho deve ser regada com frequência. O linho é arrancado pela raíz.     

 

      

O linho depois de ser colhido é ripado. Ripar é separar as sementes do caule agrupando o linho em molhos. Os molhos do linho são colocados na água, durante seis a oito dias, com objetivo de separar as fibras das partes restantes do caule.

O linho fica a secar cerca de quinze dias, depois é colocado na eira para ser malhado. Malhar é a operação de bater no linho. Depois o linho é moído.

 

 Depois de moído, o linho passa por uma operação de espadelar, ou seja: o linho é batido em cima de uma tábua para retirar a parte lenhosa, ficando as fibras que são usadas para fiar.

 

Com o fio do linho são feitos tecidos nos teares. A partir dos tecidos fazem-se mantas, camisas, calças, toalhas, entre outras coisas bonitas.   

    

 

E tem boas qualidades como: resistência, durabilidade, isolamento térmico e frescura.

Sara Lopes (3.º ano)

publicado por eb1gamil às 15:15
link do post | comentar | favorito